No site carterburwell.com há uns comentários do próprio autor da música Bella’s Lullaby, Carter Burwell, que faz parte da trilha sonora de Crepúsculo e que no longa metragem aparece Robert Pattinson tocando piano. 



Comentários : “A partitura musical de Carter Burwell, um colega freqüente dos irmãos Coen: eficazes, sutilmente assustador.Não bombástica ou grande orquestra, uau.” – Michel Philips, Chicago Tribune, 18 de Novembro de 2008.“... tão bom quanto os números vocais Crepúsculo poderia ser, não há como negar o poder importante, quase sempre presente, que o trabalho de Burwell dá para a atmosfera sonhadora do filme... Burwell responde a base da história dos fãs e das vozes femininas em síncope, um trabalho de guitarra que pode desviar da melancolia para o selvagem, e as amostras etéreas, que lançam um feitiço mágico sobre as árvores salpicadas de orvalho e pele de vampiro.

 É como uma combinação de Led Zeppelin e Pink Floyd, uma viagem de cogumelo que reproduz o romance não consumado entre vivos e mortos como uma viagem final.... as erupções de Burwell mostram um rufar frenético da selvagem fome de sangue que Edward tenta manter restrita, assim como os vampiros que se deleitam nele. 

É uma batida primal que também une a família de Edward no noroeste do Pacífico, e os índios que sabem o que essas pessoas sem idade são – o uso da narrativa musical que mostra o pensamento e a criatividade, que desaparece na partitura de Burwell.” – Daniel Schweiger, Revista Film Music, 11 de dezembro de 2008.“... Tomada como um todo, a música de Burwell para o filme é de chocar muitas vezes menos do que as canções da trilha sonora e adiciona muita sutileza a um filme sobre uma garota adolescente se apaixonando por um vampiro de 100 anos, como poderia ser. 

Apesar dos títulos como 'How I Would Die(Como eu poderia morrer)' e 'The Most Dangerous Predator(O predador mais perigoso)", sua música é pouco pesada, utilizando-se atmosferas frias e zumbidos para que as coisas se mantenham ficando muito óbvias. O trabalho de Burwell é, muitas vezes impregnado de nostalgia e melancolia, tornando-o um bom ajuste para escrever a música para uma história de amor que provavelmente resultaria em morte, caso fosse consumada. 

As peças românticas são as músicas dos mais fortes e mais interessantes momentos:. 'Fase Phascination  (Fase da Fascinação)" telegrafa como prender a paixão, feita com uma guitarra insistente acústica e uma melodia de piano que envolve em torno dela, "I dreamet of Edward(Eu sonhei com Edward)" traz uma sonoridade a sua saudade com a tonalidade leve;. e 'Bella's Lullaby (Canção de Ninar da Bella)" é romântico sem ser sentimental. Burwell garante que a ameaça subjacente a história não é esquecida, misturando suspense e tensão romântica em "I Know What You Are (Eu sei o que você é)" e "The Skin of a Killer (a pele de um assassino)", que, com suas emoções complexas e melodia ondulante, é uma das pistas mais quita essência de Burwell na peça. "- Heather Phares, All Music Guide, Billboard, 09 de dezembro de 2008.

Notas de Carter"Bella's Lullaby", como aparece no filme, não foi escrito para ser uma canção de ninar, mas para falar de amor - absorto, em êxtase atormentado. Aqui está a história.Anos atrás, eu estava apaixonado por uma mulher incrível e desafiadora chamada Christine Sciulli. Ela me deixou, eu estava de coração partido, e eu escrevi uma peça de música que tentei expressar a emoção e a dor de ter meu coração perfurado. Ela não falaria comigo, então eu lhe enviei a música para falar em meu lugar.Anos mais tarde (Abril de 2008 para ser exato) eu vim para Oregon para conhecer Catherine Hardwicke e ver um dos filmes que ela estava filmando, Crepúsculo.

 Ela mencionou que a empresa produtora, a Summit Entertainment, apenas solicitou que uma nova cena fosse adicionado ao filme. A cena existia no romance, mas não tinha originalmente sido parte do roteiro (filmes não são um-para-um nas traduções de livros). Nessa cena Edward tocava piano para Bella. Eu não estava oficialmente trabalhando no filme naquele momento e eles não sabiam o que Rob Pattinson (Edward) poderia desempenhar durante as filmagens. Esta não é uma situação incomum - muitos filmes tem um ator sentado ao teclado, balançando para trás e para frente, fingindo tocar música que só foi escrito após o filme ser filmado e editado. Este caso era incomum pois Rob é um bom músico, e inteiramente capaz de tocar piano ou provavelmente qualquer outro instrumento.

A minha preocupação, como compositor, é fazer o filme como um todo convincente, dramático, emocional e cinematográfico. Mas neste caso, outras preocupações estranhas rapidamente começaram a se acumular, todas dirigidas pelos fãs do livro. A cena do piano foi adicionado porque Summit percebeu que os  fãs queriam ouvir Edward tocar a melodia referida como "Bella's Lullaby", e cada um desses fãs tinham sua própria idéia da melodia. Porque eu não tinha começado a escrever ainda não havia um vácuo musical em que outra música começou a ser puxada. 

Rob improvisou uma canção para o início.Matthew Bellamy, do Muse, enviado em sua idéia de "Bella's Lullaby". E inúmeros leitores e músicos enviaram as suas próprias idéias ou as publicou na internet. Nada disso fez o meu trabalho mais fácil.Quando eu finalmente comecei a escrever músicas para Crepúsculo, no início de julho, me mudei, minha família e meu estúdio de Nova York a Los Angeles para trabalhar mais estreitamente com Catherine e a equipe editorial - Nancy Richardson, o editor de cinema e Adam Smalley o editor de música . Comecei a música com Bella e Edward, mais especificamente a cena em que ele a carrega para a copa das árvores.

 Eu queria capturar a emoção, mas também o desafio deste amor que atravessa as barreiras do tempo e das espécies. O filme foi editado para que a cena do piano seguisse a cena das copas das árvores, e toda a montagem tem um diálogo muito pequeno por isso era uma boa tela para pintar o tema de amor de Bella e Edward

Depois de tentar muitas abordagens diferentes com sucesso misturado eu coloquei a música que eu escrevi anos atrás para o meu amor extático e atormentado contra a imagem e parecia muito perfeito. Ele tem um tema "A" que é um pouco ambíguo, como duas pessoas tentando encontrar um terreno comum, subindo para um nível elevado, em seguida, caindo para baixo, e um tema "B", que é francamente alegre (pelo menos tão alegre quanto a minha música alcança).

Eu mostrei para Catherine Hardwicke e ela achou "emocionante, divertido." E assim, esta melodia sem nome se tornou "Bella's Lullaby". Vale notar, porém, que nem eu nem a Catherine sempre a chamamos assim. A gente sempre se referiu a este acordo como "Love Theme(Tema de Amor)" e eu acho que faz muito mais sentido se você pensar desta forma. É mais complexa e emocional do que qualquer outra canção de ninar que eu já ouvi.Comecei a usar este tema para o relacionamento de Bella e Edward que se desenvolve no filme - a partir das aulas de biologia em que ele fala pela primeira vez com ela. 

Quanto mais nós vivíamos com o "Love Theme", mais Catherine desejava refazer a cena do piano para que os dedos do Rob coincidissem com a música. A Summit Entertainment, que estavam pagando para o filme, teria que aprovar o custo disso.

Eu costumo começar a escrever no piano e depois passar para os computadores onde eu posso fazer uma "demo" ou "esboço" que soa como se ele fosse interpretado por instrumentos reais - neste caso, piano, cordas, sopros, guitarras e percussão. Eu sempre toco esses esboços para o diretor para que ele ou ela possa imaginar o som final da música, enquanto eu estou escrevendo. 

Porque Catherine precisava da aprovação de Summit para a refilmagem e nos arranjamos para tocar os esboços para os executivos da Summit, bem como os produtores do filme.Os executivos, desde que eu escrevo trilhas sonoras para filmes, 60 ou mais (não sei exatamente), eu devo ter passado por esse processo antes. Mas na verdade eu nunca tive que sentar em uma sala e tocar o meu trabalho para executivos. Normalmente eu trabalho com o diretor, e se alguém vai ser envolvido, peço que fale com o diretor e o diretor fala para mim. 

Dessa forma, o filme ainda reflete um ponto singular de vista - o do diretor - mesmo que todos nós sabemos que leva um exército para fazer um filme.Para nossa surpresa, um dos executivos não estava apaixonado com o "Love Theme". Em particular, ele opôs-se à nota de abertura da melodia, que ele corretamente observou é dissonante (a nota alta é um B bemol, mais A e B naturais da harmonia). A dissonância é imediatamente resolvida para uma consonância, mas ele não conseguia tirar a nota inicial de sua cabeça. A música é extremamente subjetiva: Por Catherine e eu a melodia foi maravilhosamente romântica e comovente. Para ele, era mal colocada.

Como um compositor de cinema que não é nada novo mandarem jogar composições fora, ou reescrevê-los. Isso acontece o tempo todo. No entanto, eu sentia essa música foi uma das melhores que eu tinha escrito, perfeito para o filme e a cena, e assim eu não levaria as reclamações da Summit muito a sério.

 O truque, neste caso foi que Catherine queria refazer a cena do piano em cerca de uma semana e ela precisava da Summit para aprovar o que o Rob iria tocar.Eu tinha chegado ao fim da minha estadia em Los Angeles e estava me arrumando para ir em umas férias curtas em Maine com a minha família (a quem eu não tinha visto muito tempo eu estava escrevendo) então de volta a Nova York para iniciar o ano escolar. O dia antes de sairmos LA, eu comecei a receber telefonemas desesperados de Catherine e produtor Wyck Godfrey.

 Eles me disseram que a Summit não aprovaria a regravação com o atual "Love Theme". Em seguida, o chefe de produção da Summit ligou e confirmou que era seu pedido - o  B não é aceitável – ele não " assinaria sobre ela". Ele disse que as adolescentes que eram o público para o filme iria querer algo mais doce, mais simples.

O começo da melodia original

Em sua defesa, eu acho que parte do problema era que Catherine e eu víamos isso como Bella e Edward "Love Theme", enquanto ele via como "Bella's Lullaby". E, de fato, para os 30 segundos durante os quais Edward está tocando piano é o "Lullaby". 

Mas o tema deve também desempenhar o romance que leva a história, e eu pensei que era um papel muito mais importante. Havia outras questões para mim também. A sugestão de que as adolescentes que querem uma doce melodia foi um pouco condescendente, e que era algo que eu tentei evitar, nesta melodia. Também não acredito que seja possível saber como a música vai afetar alguém, mesmo que os compositores de cinema afirmem. 

A imprevisibilidade é o que o torna  interessante (apesar de eu entender que não é o que os investidores querem ouvir). E você pode imaginar o que seria o mesmo que - como era ocasionalmente sobre este projeto - tentando compor uma música para satisfazer um diretor, que está tentando satisfazer um executivo do sexo masculino, que está tentando satisfazer as dez milhões de meninas adolescentes?

Meu equipamento estava empacotado, eu estava pegando um avião para o Maine, e de repente eles precisavam de um tema novo amor em questão de dias. Todos (exceto eu e minha família) pensaram que eu deveria ficar em LA. Eu disse ao pessoal de Crepúsculo que eu entenderia se eles contratassem outro compositor e entrei no avião.

Uma vez que desembarquei em Maine eu estava um pouco menos aborrecido e me ofereci para tentar algumas variações no "Love Theme", escrevendo durante a noite para isso não interferir nos dias da minha família. Descobri que a remoção do B bemol também removia todo o interesse da melodia. Eventualmente eu tinha 5 ou 6 variações, que vão do insípido ao aceitável, e eu enviei a Catarine. Eu não sei quantos tocaram para a Summit. Um deles foi aprovado, e eu coloquei-o no papel para Rob tocar (o que ele fez muito bem). 

Catherine e eu tentamos chegar a um título para a canção que mais coubesse a sua finalidade, mas a Summit insistiu que fosse chamado de "Bella's Lullaby", e eu estou feliz em pensar como tal. O melodia de abertura do piano é a versão original que eu escrevi há tantos anos (eu mantive-a no filme, apesar das objeções da Summit), e Rob melodia toca no final é a variação que a Summit aprovou. Você vai ouvir as duas salpicadas durante todo o filme. Conforto-me que a música original predomina, porque, para mim, é mais memorável. Qual delas você se lembra?

O começo da variação da melodia 

Devo mencionar que Christine, a mulher para quem eu escrevi pela primeira vez a melodia anos atrás, agora é minha mulher incrível e desafiadora. Em meu coração, a melodia será sempre nossa, mas agora ela é sua (e de Bella e Edward) também.


16:17
Post: 



0 responses to "COMO CARTER BURWELL ESCREVEU O BELLA’S LULLABY"


Postar um comentário

Comentem

Related Posts with Thumbnails